quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Com Obesidade Infantil não se Brinca!



Quando se fala em exercício físico, pensamos em adultos praticando em academias, praças, orlas, enfim, quase sempre não lembramos ou sabemos que exercício físico também é destinado para crianças. Claro, de uma forma lúdica e prazerosa onde a criança possa se divertir e ao mesmo tempo queimar calorias, fortacer os músculos, ossos e o cérebro.


Mas o que percebo, no dia a dia, são crianças deixando de se movimentar com brincadeiras saudáveis para cada vez mais permanecerem com a cara no celular, na TV, no computador e tablets. Um horror!

A Associação Brasileira para Estudos da Obesidade e Síndrome Metabólica - ABESO divulgou em sua página uma calculadora específica para crianças para calcular o IMC. De forma bem simples, insira os dados de seu fílho e veja o resultado logo abaixo.

A partir desse resultado, sinta-se responsável pela qualidade de vida de seu filho.

Link para a calculadora aqui

Até a próxima!

sábado, 13 de janeiro de 2018

Condicionamento Cardiorrespiratório Específico para Cada Um

Quando se fala em condicionamento cardiorrespiratório o que lhe vem a cabeça?

Para enterdermos de forma fácil o que isso significa vejamos o seu conceito:

É a capacidade de nosso organismo de captar o oxigênio, transporta-lo e aproveita-lo como fonte de combustível para a produção de energia para os músculos em trabalho, durante um período de tempo. Esse fenômeno que ocorre em nosso corpo também recebe o nome de condicionamento aeróbio e VO2 máximo.

Tecnicamente falando é a taxa máxima de utilização de oxigênio dos músculos durante o exercício (Heyward, 2004).

Para melhorarmos nossa resistência aeróbia é necessário treino. Seja nadando, correndo, pedalando, enfim, atividades que mantêm o movimento em períodos de tempo mais duradouros. A exemplo disto estão os maratonistas, triatletas, ciclistas, nadadores de longa distância, circuitos funcionais e etc., em conclusão, uma gama de atividades que podem ter a característica cardiorrespiratória.

Aí você se pergunta: Como posso saber a minha resistência aeróbia?

Não é difícil! Um Profissional de Educação Física poderá lhe ajudar, realizando uma avaliação para medir o consumo máximo de oxigênio e classifica-lo de acordo com sua faixa etária, sexo e idade. Outro modo, não menos importante, é uma avaliação com o médico cardiologista, o teste ergométrico e o eletrocardiograma.



Com o resultado em  mãos, o seu preparador físico iniciará um programa de treinamento progressivo e adaptado à sua realidade.

Busque sempre a orientação de um Profissional de Educação Física e bom treino.

Até a próxima!

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Mantenha o Foco



Exercício é coisa séra.

Não pense que porque está matriculado numa academia, num grupo de corrida ou funcional, lutas e etc., você resolveu sua vida.

Ledo engano caro amigo(a)! Antes de tudo você precisa resolver-se. Sua cabeça precisa mudar. Sua forma de pensar terá que ser outra. Isso se chama foco, determinação, disciplina.

Verdade, mudar é tudo isso!

Ir ao treino e ficar pedindo para o professor apenas exercícios que gosta de fazer ou ficar fazendo corpo mole é desviar do objetivo. Entende agora porque exercício é coisa séria?

É você mudar sua mente. Um registro que está marcado na sua vida inteira e que agora você quer modificar a chave para o lado saudável!

O caminho para se alcançar as metas é árduo e suado. Se você não está com disposição de encarar o treino diário de lutar contra os seus maus hábitos, fique certo de que sua conversinha de dizer que está no foco é balela. Sinta-se de frente ao seu auto-engano.

Mude, se regenere!

Bom novo ano a todos.

Até a próxima!


quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Auto Imagem da Mulher

A imagem de um padrão estético imposta pelas mídias, principalmente para as mulheres influencia a percepção da auto imagem e consequentemente a autoestima.

Em um estudo de Bevilacqua em  2010, documentou-se esse tipo de comportamento.

Uma avaliação da auto-imagem corporal e autoestima num grupo de 47 mulheres com idade entre 40 e 83 anos. Onde foram realzadas coletas de dados para as avaliações de imagem corporal, autoestima, classe sócio-econômica, antropométrica.

Com base nos resultados foram constatados que 78,7% estavam insatisfeitas com a imagem corporal;

70,2% das avaliadas tinham a autoestima em um nível alto.

Mulheres que apresentaram um resultado melhor sobre a autoestima tiveram na avaliação da percepção corporal uma tendência a reduzir sua imagem corporal durante esta avaliação.

Considerando esses dados, segundo Bevilacqua (2010), os números encontrados nesse estudo assegura a afirmação de que a vontade das mulheres de meia e terceira idade é o anseio por um tamanho corporal menor que o atual.

A percepção da imagem corporal sofre influência de múltiplos fatores socioculturais, onde estão envolvidas questões psicológicas, sociais, culturais e biológicas nas quais são determinadas, subjetivamente, pela procura do melhor visual da aparência física (Damasceno e Colaboradores, 2006 citado por Bavilacqua, 2010).

A obesidade é um dos fatores que mais influencia na percepção da imagem corporal. Uma comparação de mulheres obesas com mulheres com peso dentro dos parâmetros normais, as obesas demonstram maior disformidade com sua imagem real de corpo (Cachekin e colaboradores, 2006 citado por Bevilacqua, 2010). E, um ciclo de maus hábitos associados com o ideal de corpo pode desencadear um processo depressivo e consequentemente aumento da ingestão calórica que resulta em aumento de peso (Kanno e colaboradores, 2008 citado por Bavilacqua, 2010).

Sei que não é fácil mudar os hábitos, mas não é impossivel! Seja dererminhado(a) e trace suas metas para que nesse novo ano sua vida passe a valer muito mais com seus novos hábitos saudáveis!

Busque orientações de profissionais de Educação Física, Nutrição, Psicólogos e espiritual e encontre o seu caminho!

Se regenere!!!

Até a próxima!

domingo, 1 de outubro de 2017

Envelhecimento e Exercícios Físicos

Não vamos esperar envelhecer para iniciar um programa de treinamento físico!

Comece o mais cedo possível!
Se você teve uma infância fisicamente ativa, continue na adolescência e não pare mais de se exercitar nessa vida.

Uma das maiores, se não a maior, instituição preconizadora das diretrizes do exercício físico, o Colégio Americano de Medicina do Esporte (American College of Sports Medicine - ACSM) sugere que a atividade física programada para grupo de pessoas acima de 65 anos de idade é uma forma de intervir positivamente na redução dos declíneos funcionais provenientes do envelhecimento.

E mais:

Melhora o estado de saúde e contribui para o aumento da expectativa de vida.

Outras recomendações são:

Realizar exercícios aeróbios melhora o desempenho do coração;

Exercícios de força previne a osteoporose e o declínio da força e massa muscular;

Ambos melhoram a flexibilidade e a amplitude do movimento no dia a dia, prevenindo quedas, lesões e aumento do controle postural.

Neste vídeo podemos observar que exemplo de continuidade no exercícios.

Ou você acha que a senhora (do vídeo) aprendeu isso agora?



Nunca pare!

Tá esperando o quê para ir treinar?

Busque um Profissional de Educação Física e mexa-se!

Até a próxma!